Reitora e docentes da Unifesp reúnem-se na PMO e visitam obras do campus Osasco

Da esquerda para direita: Júlio Zorzenon (vice-diretor Unifesp Campus Osasco), Valmir Prascidelli (deputado federal - PT), Renata Abreu (deputada federal - PTN), prefeito Rogério Lins, Soraya Smaili (reitora Unifesp), Luciana Onusic (diretora Unifesp Campus Osasco) - crédito: SECOM/PMO

Na segunda-feira, 17/4, o prefeito Rogério Lins recebeu, em seu gabinete, a reitora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Soraya Smaili, a diretora acadêmica da Unifesp Campus Osasco, Luciana Onusic, e representantes do corpo docente da instituição. A pauta da reunião foi o andamento do projeto de construção do novo campus e sobre fazer uma visita à obra, situada no bairro Quitaúna. Os deputados federais Renata Abreu e Valmir Prascidelli, e representantes das pastas de Planejamento e Gestão; Serviços e Obras; Educação; Segurança e Controle Urbano; Comunicação; e de Transportes também estiveram presentes no encontro. 

Abrindo a conversa, o prefeito destacou a importância da parceria firmada entre a instituição e a PMO e frisou que a gestão se empenhará ao máximo para contribuir com a celeridade da obra. “A construção do novo campus traz muitas expectativas e isso é muito positivo para a cidade. Hoje, em funcionamento na FITO, ela já conseguiu impactar positivamente muita gente e isso só tende a aumentar”, afirmou Lins. “A PMO trabalhará em conjunto com a Unifesp para assegurar o andamento das obras. Além da nova sede, a obra também contará com a construção de uma creche e um parque, que será aberto à população.”, garantiu.

Em sua fala, Soraya Smaili relembrou a trajetória de expansão da Unifesp e falou sobre o início das obras, acentuando que, em 2017, foi afetado pela conjuntura orçamentária vivida pelo país. “O Ministério da Educação comprou o terreno onde hoje construímos a sede do novo campus no fim de 2005 e o doou à Unifesp, mas, à época, ainda não tínhamos o nosso processo de expansão consolidado. Ele só foi iniciado entre 2006/2007 e o primeiro campus fora da sede, em São Paulo, foi o de Santos”, explicou.

“Logo após, iniciamos os campus de Guarulhos e Diadema; São José dos Campos veio na sequência. Já Osasco recebe seu campus em 2010, na FITO, que nos foi cedida pela prefeitura. A partir de então, iniciam-se os processos necessários para a construção de nossa unidade própria”, completou.

Após a conversa, o grupo dirigiu-se ao canteiro de obras para uma visita técnica. Acompanhados pela arquiteta da Unifesp e encarregados da empreiteira responsável pela construção, os visitantes puderam ver a maquete do prédio e conhecer melhor os detalhes do projeto executivo da obra.




Outras Notícias

Convidada pelo Núcleo de Projetos da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a SEPLAG participou como palestrante do “Legacy das Olimpíadas Rio 2016: Segurança, Energia e Ambiente para cidades inteligentes”, no Consulado Geral da Itália, no Rio de...

Leia mais